Atuação

Frete


COMUNICADO | ALERTA

Prévia de pesquisa indica defasagem em torno de 10,75 a 12,89% no frete  

 Na reunião da Câmara Técnica de Transporte de Carga Fracionada – CTF realizado no último dia 12 de dezembro na sede do SETCERGS - Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística no Estado do Rio Grande do Sul discutiu-se a situação econômica por que passa o segmento. 

A pauta tratou da alteração frequente do valor do diesel, resultado da nova política de preços da Petrobras, que decide a cada mês o preço dos combustiveis nas re?narias com base nas variações ocorridas no preço do barril de petróleo e no valor do dólar.

  A NTC vem acompanhando a situação das empresas transportadoras, que vem piorando ano a ano desde 2014. A última pesquisa relizado pelo DECOPE/NTC mostrou que 73% das empresas do segmento está pior do que em 2015; praticamente, todas estão com frete defasados e, quase 90% tem frete a receber em atraso. Em resumo, o valor recebido está aquém do necessário, os prazos de recebimento são longos e, ainda, boa parte deles não está sendo honrada nos prazos contratados. 

Baseados nas planilhas de custos da NTC, foi realizado um estudo preliminar que apresentou uma defasagem em torno de 10,75 a 12,89%. A preocupação com a situação não é só pelo valor estar elevado, mas pela persistência do mesmo ao longo do tempo – o ano inteiro a defasagem permaneceu neste patamar (em agosto a pesquisa indicou uma defasagem de 12,90%).

 Destaco que a NTC está iniciando a pesquisa sobre o desempenho do setor no ano de 2016. É muito importante que os empresários e executivos do setor participem desta enquete para termos dados concretos sobre o setor. A pesquisa está a disposição para o preenchiemnto AQUI. A apresentação dos dados deste estudo será feita na próxima edição do CONET que acontece de 09 a 12 de fevereiro em Rio Quente, Goiás. Para mais informações sobre o evento, clique aqui. 

A NTC vem, mais uma vez vem alertar, sobre a importância do setor de transporte como um todo -  em especial o segmento de transporte de carga fracionada -; se conscientizar sobre a gravidade da situação e a urgência se buscar o quanto antes a correção dos preços, pois este quadro está empurrando as empresas para condições econômicas graves e irreversíveis.

 Este é um comunicado que não deve ser entendido como mais uma simples solicitação de reajuste, mas como um alerta para transportadoras e seus clientes para o risco de desestruturação de setor comprometendo seriamente a capacidade futura de atendimento e o nível de qualidade. 

  São Paulo, 14 de dezembro de 2016.
Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística - NTC&Logística